Dia da mulher e a presença delas na evolução da tecnologia

Dia da mulher e a presença delas na evolução da tecnologia

Renan Renan 08 mar 2022

Nesse dia 8 de março, celebramos o Dia Internacional da Mulher, data especial dedicada a comemorar todas as conquistas femininas, durante anos, de busca por igualdade. As mulheres se destacam nos mais diversos setores, mostrando que os preconceitos são os responsáveis por ainda não presenciarmos uma sociedade totalmente igualitária. Além da celebração, nessa data cabe sempre uma reflexão, observando os fatos que mostram o quão injusta a sociedade ainda pode ser, em diversas áreas.

Pensando nisso, nós, do Tudo Tecnologia, preparamos para você esse texto, a fim de lembrar grandes nomes de mulheres que marcaram o universo tecnológico, com seus grandes feitos. Dessa forma, vamos celebrar juntos o Dia Internacional da Mulher, conhecendo algumas das mais marcantes historicamente, que servem de inspiração para todas que almejam se envolver com tecnologia. Vamos também falar um pouco sobre o crescimento das mulheres nessa área.

Vamos lá:

Mulher e Tecnologia
Mulher e Tecnologia

Os principais nomes historicamente

Iniciaremos então, citando e contando um pouco sobre as maiores personalidades femininas na área da tecnologia e seus feitos. Aqui, falaremos de mulheres que serviram de inspiração, e ainda servem, para muitas outras que são apaixonadas pelos mais diversos setores da área.

Ada Lovelace

Ada Lovelace é, sem dúvidas, um dos principais nomes da computação. Ela foi uma matemática e escritora inglesa, que viveu entre 1815 e 1852. A sua principal contribuição para a TI foi a criação do primeiro algoritmo, sendo considerada a primeira programadora do mundo. No entanto, a sua descoberta só pode ser testada e comprovada, anos após sua morte, quando haviam máquinas capazes de testar os códigos criados por Ada.

Ada é chamada, por muitos, de mãe da computação e a sua contribuição é reconhecida. Em 1998, a “British Computer Society” criou a “Medalha Lovelace”, prêmio dedicado àqueles que conquistarem avanços significativos em sistemas de informação. Além disso, comemora-se o “Dia da Ada Lovelace”, a partir de 2009, na segunda terça-feira de outubro de cada ano. O objetivo da data é incentivar mulheres que estudam e trabalham com Ciência, Engenharia, Matemática e Tecnologia. As contribuições e inspirações de Ada Lovelace são notáveis.

Frances Allen

Frances Elizabeth Allen, foi uma cientista estadunidense com grande impacto na computação. Foi a primeira mulher a ganhar o Prêmio Turing, considerado por muitos como um “Nobel da informática”. Frances se destacou no setor que busca otimizar compiladores, programas de computador que traduzem linguagens de programação para outras equivalentes, capazes de serem interpretadas pelos processadores. O trabalho de Frances contribuiu para que diversos sistemas fossem aperfeiçoados, dessa forma, vários softwares podem trabalhar de maneira otimizada, com maior eficiência. Ela também trabalhou na “National Security Agency”, a Agência de Segurança Nacional dos Estados Unidos, contribuindo com a criação de sistemas de segurança digital.

Carol Shaw

Carol Shaw é uma das mulheres que mais se destacou no universo dos games. Formada em engenharia elétrica, ela foi a primeira mulher a desenvolver jogos de videogame e, se aventurar nesse setor de grande presença masculina, com certeza foi um grande desafio. Ela é a criadora de um dos maiores sucessos do console Atari, o jogo “River Raid”, que vendeu mais de um milhão de cópias, considerando apenas as fitas originais. É valido citar que o jogo é um dos pioneiros a introduzir um sistema de progressão de níveis, onde há um aumento gradual da dificuldade da jogatina conforme o jogador progride. Carol é pioneira e inspiração para todas que desejam trabalhar na área, e pode gerar cada vez mais mulheres nos games.

Grace Hopper

Grace é o nome por trás da principal teoria sobre a origem do termo “bug”. Você muito provavelmente já utilizou ou ouviu, frases como “meu PC bugou”, “esse programa está com bugs”, ou outras variáveis utilizando o termo. Ao que tudo indica, “bug” passou a ser usado para se referir a erros em computadores, quando Hopper solucionou um problema de processamento de dados, após retirar um inseto de dentro de uma máquina. Inseto, que em inglês, é “bug”. Mas, isso está longe de ser a única contribuição de Grace ao mundo da tecnologia.

Grace é a principal criadora da “Linguagem Comum Orientada para Negócios”, chamada “COBOL”, para sua sigla em inglês. A COBOL é utilizada por empresas em todo o mundo até os dias de hoje, e é uma complexa linguagem de programação, que processa banco de dados comerciais. Hopper também trabalhou na programação do primeiro computador de grande capacidade do mundo, o “Mark I”, na Universidade Harvard. Além disso, contribuiu com a criação do UNIVAC I, o primeiro computador comercializado nos EUA.

Katherine Johnson

Katherine Johnson foi uma matemática, física e cientista espacial estadunidense. Ela trabalhou na NACA, agência espacial dos EUA, que posteriormente se tornou a tão conhecida NASA. Uma das principais contribuições de Katherine, foi o cálculo de trajetória de vôo para o primeiro pouso na Lua, feito pela missão Apollo 11. Portanto, por trás do famoso “pequeno passo para um homem, gigante passo para a humanidade”, havia uma mulher, Katherine Johnson. Além de participar do grande feito histórico, ela também é responsável por diversos trabalhos, que calculavam as trajetórias dos primeiros lançamentos espaciais. Em 2015, com 97 anos de idade, ela recebeu o que é considerada a maior condecoração civil dos Estados Unidos, a Medalha Presidencial da Liberdade. Katherine esteve mais de 30 anos trabalhando na agência espacial, e colaborou para diversos feitos. Ademais, sempre foi, e será, inspiração para várias mulheres em todo o mundo.

Mulheres no TI

Com certeza, os nomes supracitados, são de grandes mulheres que contribuíram muito para avanços na área da tecnologia, em todo o mundo. A área de TI é, historicamente, dominada por homens. Segundo dados de pesquisa mais recente, realizada pela “PretaLab”, juntamente com a “Thoughtworks”, importante empresa de consultoria global na área de TI, apenas 31,5% das vagas em áreas de tecnologia, são ocupadas por mulheres. E, as principais razões para isso, são questões culturais e sociais, principalmente enraizadas em preconceitos.

Os números tendem a mudar, a medida que evoluímos como sociedade, quebrando padrões e divulgando informações que despertam o interesse na área. No Brasil, por exemplo, dados divulgados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), mostram que nos últimos 5 anos, cresceu 60% o número de mulheres que ingressam no mercado de tecnologia. O Banco Nacional de Empregos (BNE) fornece a informação de que, em 2020, haviam 10.375 candidaturas de mulheres para vagas de tecnologia, e em 2021, o número subiu para 12,7 mil.

Muitos exemplos contemporâneos também surgem, como gigantes inspirações. É o caso de Susan Wojcicki, diretora executiva do YouTube, uma das maiores empresas do mundo. Susan é, sem dúvidas, uma das mulheres mais influentes na área de TI atualmente, e pode inspirar muitas outras que se interessem pelas áreas.

A busca da igualdade, em diversos setores, ainda exige que cruzemos por diversos caminhos, e a trajetória é longa, apresentando diversas complexidades. Mas, com o passar do tempo, o aumento da divulgação de informações e a quebra de paradigmas, nos encontramos com a esperança e podemos ver, cada vez mais, mulheres ganhando o seu espaço nos mais diversos setores. Mesmo naqueles em que há uma predominância masculina, como é o setor de tecnologia e games, por exemplo, observar grandes nomes é importante para inspirar a todas e conscientizar a todos.

Fique por dentro

Receba as novidades no seu e-mail.

icone newsletter
banner lateral

Encontre o plano ideal para você.

Veja os planos